quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Bûche de Noël: O Tronco de Natal e a Tradição em volta da lareira

Fato: o Natal é, sem sobra de dúvida a época que mais gosto  dentre todas as comemorações do ano ocidental.  Com isto, mais uma vez exposto hoje vim postar informações sobre um prato  que além de ser delicioso tem uma carga enorme de tradição embutida na sua presença depois de pronto.
As proximidades com a época natalina me deixa sempre querendo novidades gastronômicas, inovações gustativas  e novas formulas culinárias para iguarias já conhecidas. Mesmo assim, me rendo aos gosto tradicionais, seja pela beleza do prato  finalizado; seja pela facilidade do preparo; seja pela importância tradicional e pelo  valor emocional que o prato  me remete.

A estrela de hoje é uma importante iguaria francesa, desde séculos passados, e não pode faltar  na mesa dos franceses na época de natal. Porém, a primeira vez que experimentei esta maravilham acredito eu, que foi  num destes meses de abril, no passado, quando  comprei uma revista de meses decorativas para aniversario de tema natalino, e me encantei com miniaturas desta receita que ficavam ainda mais  bonitas na foto, por estar acompanhadas de coelhos e esquilos feitos de  marzipan...minha boca encheu-se de água so pela foto e tão logo sai da papelaria onde comrpei a revista e cheguei em casa, pus a Mao  na massa pra preparar e saborear aquilo.
Senhoras e senhores, apresento: Bûche de Noël.

Vejamos a tradição por traz desta delícia.
Antigamente na França, toda a família se reunia diante da lareira  na véspera de Natal. As crianças cantavam canções de Natal e escutavam histórias contadas pelos avós, enquanto uma enorme cavaca (lasca de madeira) queimava.
Decorada com folhas e laços, o fogo da lareira era sempre aceso pelo mais jovem e pelo mais velho.

Depois de ter sido benzida pelo chefe da família com óleo, aguardente ou às vezes com um ramo banhado em água benta... As cinzas dessa lenha eram então conservadas, pois a ela se atribuía a propriedade de proteger a casa dos raios e do Diabo durante o ano seguinte.

Esse costume, que remonta ao século XII, era também repetido na maior parte dos países europeus, e até em Quebec. Na Itália a lenha era chamada “ceppo”. Na Inglaterra, "Yule Log". Essa tradição teria desaparecido no fim do século XIX com as grandes lareiras de chaminés enormes, que foram sendo substituídas progressivamente. Uma pequena lenha substituiu então a grande. Às vezes cercada de velas e folhas, ela era colocada no centro da mesa de Natal como decoração.
Hoje em dia, a cavaca de Natal é simbolizada por um bolo, o Bûche de Noël (o tronco de Natal), cujo a forma e a decoração nos faz lembrar da cavaca que queimou um dia nas lareiras do passado. O bolo tem a cor da madeira escura, coberto de chocolate ou de creme de café. É uma espécie de rocambole recheado com creme de manteiga e seu corte parece o da madeira. Salpicamos açúcar de confeiteiro para lembrara das neve e a decoramos com pequenos bichos e cogumelos de marzipan ou merengue, para deixá-los mais real.
Essa sobremesa tipicamente francesa nasceu em Paris, no final do século XIX, nos fornos do historiador e confeiteiro Pierre Lacan, a quem devemos aplausos por criar algo tão gostoso e, sobretudo por estar preservando com isso a memória de uma época, de um povo.
Reza-se a lenda mágica que na Europa dos séculos passado, na manhã do dia 24 , os rapazes solteiros deveriam arranjar o TRONCO de  Natal.
Porem ainda existe uma explicação mais ligada ao lado mágico e espiritual:

Eles o escolhiam dentre as árvores já secas ou dentre as que tenham sido atingidas pelos fogos de verão. Depois juntavam os troncos no largo principal da cidade, em frente à Igreja e perto da meia noite ateavam o fogo que ficaria a arder até ao dia seguinte.
Esta queima da acha de Natal teria origem no antigo costume da fogueira de Natal que era acesa para dar vida e poder ao sol, que, pensava-se, renascia no Solstício do Inverno. Tempos mais tarde, o costume da fogueira de natal ao ar livre foi substituído pela queima dentro de casa de uma acha e por longas velas vermelhas gravadas com esculturas de motivos solares e outros símbolos mágicos.

Como o carvalho era considerado a árvore Cósmica da Vida pelos antigos druidas, a acha de Natal era tradicionalmente de carvalho. Algumas tradições usam a acha de pinheiro para simbolizar os deuses agonizantes Attis, Dionísio ou Woden. Antigamente as cinzas da acha de Natal eram também misturadas à ração das vacas, para auxiliar numa reprodução simbólica, e eram espargidas sobre os campos para assegurar uma nova vida e uma Primavera fértil.

TRONCO DE NATAL
massa
5 ovos   5 colheres(sopa)de açúcar .meia xícara(chá)de leite
.1 xícara (chá) de farinha de trigo
.meia xícara (chá) de amêndoas trituradas
.manteiga para untar

Recheio
Creme de chocolate
1 ovo
90gr de manteiga
50gr de açúcar
50gr de chocolate de culinária
1 colher de chá de café
Cobertura

.1 lata de creme de leite
.1 tablete de chocolate  meio amargo picado
. lasca de amendoas peladas,torradas,cerejas e folhas de
ortelã para decorar
.meia xícara (chá) de amêndoas trituradas
.manteiga para untar

Modo de Preparo
Massa
Em uma batedeira,bata os ovos até dobrarem de volume.Adicione o açúcar e bata mais um pouco.Diminua a velocidade da batedeira e junte o leite.Desligue e adicione a farinha e as amêndoas,misturando delicadamente.Despeje em uma fôrma retangular(30x41 cm).untada e forrada com papal-manteiga untado.Leve ao forno médio-alto(200ºc),preaquecido,por cerca de 30 minutos.

recheio
.faça o creme de chocolate. Bata o ovo com o açúcar e a manteiga. Derreta o chocolate com o café e junte-a ao creme de ovo e manteiga. Misture bem e guarde na geladeira.

Cobertura
Aqueça o cremne de leite em banho-maria. Adcione o chocolate picado,mexendo até que derreta.Espere esfriar e leve á geladeira por cerca de 30 minutos.

Montagem
Corte um pedaço do rocombole na diagonal e coloque-o na lateral,formando um tronco de árvore.Decore espalhando a cobertura de chocolate  sobre o rocombole com uma espátula isando bem.Em seguida,faça alguns sulcos com um garfo,para imitar a textura do tronco.Leve á geladeira para firmar(20 minutos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário